Palavras Not Provided no Analytics para Acordar o SEO

Palavras Not Provided no Analytics para Acordar o SEO

7 Comentários »

Um grande rebuliço no mundo Search por conta da situação de quase 100% de palavras-chave not provided (não fornecidas) no Analytics. Esses números vinham crescendo há meses, mas o Google fez uma mudança que potencialmente deixará as palavras-chave uma verdadeira incógnita.

Quando tudo começou

Há quase dois anos o Google lançou uma mudança, a qual não iria indicar qual palavra-chave foi utilizada pelo usuário para as ferramentas de Web Analytics (incluindo o Google Analytics). O intuito era, segundo eles, proteger a privacidade de seus usuários.

Teoricamente, esse novo método protege a privacidade do usuário  porque a busca para quem está logado na conta Google (Gmail, Youtube e afins) utiliza o protocolo HTTPS – repare que tem um S – que criptografa os dados de navegação.

A ferramenta Not Provided Count tem acompanhado o desenrolar dessa situação, e indica o crescimento acelerado dessa entrada de dados not provided a partir do último Agosto, se acentuando em Setembro. A previsão é que no final de Novembro, absolutamente 100% buscas serão não identificadas.

Nunca houve invasão de privacidade

A mudança do Google é baseado em  fraca argumentação, pois diz que as palavras-chave estão sendo veiculadas como (not provided) para proteger a privacidade. A verdade é que é impossível vincular um acesso com o usuário.

As ferramentas de Web Analytics conseguem muitos detalhes, como tempo de visita, quais páginas foram acessadas. É possível até mesmo saber qual a cidade de acesso. Mas esse seria o máximo de informação pessoal. É impossível ver por exemplo o endereço da residência, a idade e muito menos o nome.

Ou seja, está protegendo quem de que?

Dois pesos, duas medidas

Além da argumentação fraca escrita acima, há outro fator polêmico: as palavras-chave utilizadas pelo usuário é disponibilizada para o sistema de AdWords! É isso mesmo. Para quem gera renda para o Google, há regalias. Para quem não gera renda, resta chorar.

Então esqueça saber quais palavras-chave foram digitadas pelos visitantes que chegaram ao seu site. Dificilmente o Google irá voltar atrás com as tão polêmicas not provided.

É uma crise pro SEO?

O setor de search é historicamente dependente de palavras-chave como métrica de desempenho e também para coleta de dados para planejamento. Por isso a maior parte dos profissionais ficou tão preocupada com essa nova situação. Basicamente TODO o seu processo era baseado nesses dados:

  1. Relatórios
  2. Planejamento
  3. Construção de Páginas
  4. Criação de conteúdo

Então é fácil compreender esse momento em que parece haver uma crise no setor. Mas na verdade, o que vejo é que há uma oportunidade para toda a comunidade se unir na construção do próximo degrau.

Oportunidade no SEO!

Há uma história de que o ideograma chinês para crise também significa oportunidade. Já li que isso é lenda, mas a mensagem continua válida.

O foco do Google sempre foi melhorar a experiência do usuário, entregando as melhores respostas para as buscas feitas. E ele está fazendo isso através da busca semântica.

E essa mudança está em processo há muito tempo. O Google vem fazendo pequenas e constantes atualizações das suas ferramentas com esse objetivo.

Em Abril de 2012, falei sobre essa mudança para o viés semântico numa matéria para o programa para o Olhar Digital:

[youtube v_PonQ1ui6A]

Ou seja, há tempos esse tema já está sendo discutido pelas áreas mais avançadas das ferramentas de busca.

Apesar de acharem que o SEO está mais um vez morto, na verdade ele está se reinventando.

Vício em Palavras-Chave

Ficamos muito tempo viciados em palavras-chave. Essa era a métrica básica dos profissionais da área. Essa nova situação cortou esse vício. Parece que os usuários intensos de palavras-chave foram os que mais sofreram com essa interrupção, tendo uma crise de abstinência.

Porém quem vem seguindo a evolução da área e focou seus olhares para métricas de qualidade, essa situação não gerou grande crise. Souberam acompanhar números de conteúdo e UX, como páginas/visita, taxa de rejeição e tempo de visita. A atualização Panda deveria ter ajudado a todos perceberem e fazerem essa mudança.

Há tempos vemos em todos os lugares que conteúdo é rei, porém as métricas continuaram a ser palavras-chave exatas.

Foco em Melhores Métricas

O primeiro passo então quando perdemos uma métrica, é substituí-la por outra. Já que precisamos fazer isso, porque não utilizar uma melhor?

É aí que entram as KPIs (Key Performance Indicator), ou Indicadores-Chave de Desempenho.

Elas são a base para uma solução de web analytics. Esqueça uma campanha web de verdade sem elas. Senão você estará só brincando de análise. Ela irá te apresentar de uma forma elegante e rápida dados técnicos que planilhas com centenas de entradas conseguem te confundir.

Algumas dicas básicas sobre KPIs:

  1. Use taxas, porcentagens, proporções e médias ao invés de números puros
  2. Indique por sinais de trânsito, termômetros e cores ao invés de gráficos de pizza ou barra.
  3. Ofereça contexto e destaque para mudanças ao invés de uma tabela inteira
  4. Todos as informações têm que oferecer insights para ações claras do negócio
Utilize esse momento para aprender mais sobre métricas de desempenho, pois sem elas o trabalho fica muito no achismo, o que não é nem um pouco saudável para o futuro do seu site.

 

7 comentários para “Palavras Not Provided no Analytics para Acordar o SEO

  1. Tenho lido bastante sobre o “fim” das palavras chaves. Tenho um site bacana sobre tatuagens e estava pensando em otimizá-lo bem com o uso de palavras-chave.
    Devo desistir desta idéia?

    1. De forma alguma, Tito!

      As palavras-chave continuam valendo. O que está em discussão é que no futuro o Google vai dar menos valor para tantas variações de palavras-chave, como “loiro ou louro” que são a mesma coisa, para focar na intenção do usuário.
      Mas não se preocupe com isso, continue otimizando o seu site trabalhando bem as palavras-chave dentro de cada página, ok?

      Abração!

  2. Tenho absoluta convicção que a forma que o google fez nao dá para controlarmos. Acho que a maioria dos cliques de campanhas de adwords são por intermedio de robos e por isto mudaram. Não por proteção a coisa nenhuma e sim para esconder os cliques que são falsos.

    1. Neto! Essa posição do Google é bem controversa mesmo. Já ouvi diversas opiniões do motivo real, mas nenhuma foi testada e provada. Por isso trabalhamos em duas frentes: informando os nossos leitores a posição oficial do Google e, em paralelo, realizando testes para saber como funciona e o que influencia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

SP São Paulo (11) 2640-7284 Rua Manuel da Nóbrega, 456 conj. 65 - Paraíso - São Paulo - SP
RJ Rio de Janeiro (21) 4126-1965 Tv. Domingos Candido Peixoto, 501 / casa 1 - Icaraí - Niterói - RJ