SEO Internacional e o segredo do hreflang

SEO Internacional e o segredo do hreflang

Deixe um comentário »

Melhores práticas para SEO Internacional

 

Sonha em fazer o seu site e negócio prosperar no cenário internacional? Existem uma série de práticas e diretrizes que devem ser seguidas com a finalidade de melhor comunicar aos robôs dos buscadores de busca quais páginas mostrar a um dado usuário, levando em consideração seu idioma e localização. Isso se faz necessário, até pra gerar uma experiência mais positiva para o usuário, uma vez que este vai estar em contato com um conteúdo em idioma que ele domine.

Para sites que tem mais de uma página em diferentes línguas, é necessário exibir o conteúdo para o público do local certo. Dessa maneira, é possível indicar aos mecanismos de busca qual idioma e região devem exibir.

 

Porém, é necessário realizar a otimização para os robôs de busca poderem ler com mais clareza seu domínio em diversas regiões e idioma.

 

Um fato importante, antes de falar que otimizações são essas, é que isso não é um fator de ranqueamento do Google. Por outro lado, se feito de maneira errada, você pode estar duplicando seu conteúdo, exibindo para o público e local errado, com o idioma errado. Dessa maneira, seu bounce rate ( taxa de pessoas que entram e saem da página) estará aumentando.

 

Existem basicamente três melhores práticas para variação multilinguística e multiregional no SEO:

 

  1. O endereço da URL que seu domínio usa;
  2. O atributo Hreflang;
  3. O conteúdo produzido para o público em relação a sua localidade e dialeto.

 

O conteúdo de diversos site são apenas variações de suas línguas originais. Isso torna pouco relevante aspectos como cultura, economia e ambiente local.

 

De fato, o conteúdo relevante internacional tem que ser mais bem elaborado e planejado quando se pensa em atingir outros mercados fora do seu país origem.

 

No momento que é possível ter um conteúdo relevante, o próximo passo é fazer os mecanismos de buscas entenderem qual linguagem e território devem ser exibidos. Para isso os dois próximos critérios são relevantes para essa compreensão e assim otimizar a indexação dos buscadores.

 

Estrutura das URL

A URL é o fator mais importante para o crawler entender o país e idioma de um site. Por isso, é importante entender como cada estrutura influencia o comportamento do robô.

Uma URL pode possuir country code top-level domain (ccTLD), subdomínio ou subdiretório. Para cada caso é possível visualmente entender a qual território pertence.

 

  • ccTLD: essas URLs apresentam uma identificação do país após a marca. Por exemplo: domínio.br
  • Subdomínio: o indicativo de região vem antes da marca. Assim como: br.dominio.com
  • Subdiretório: nesse caso é indicado a região em outro nível. Por exemplo: dominio/br

 

Os mecanismos de busca, os Search Engines entendem cada um desses casos de maneiras diferentes: boas e ruins.

 

Para o primeiro caso, ccTLD, é o mais fácil de um robô entender a linguagem e a região que um website irá ranquear. Porém, é importante destacar que esse é o ponto de vista tecnológico. Entretanto, sob a ótica da autoridade, o compartilhamento de juice com as outras páginas em países diferentes não irá acontecer. O que pode ser ruim, pois irá ser gasto um trabalho de link building para todos domínio existentes em diversos países.

 

Para o uso de subdomínio, irá ser ruim para todo SEO. Os  mecanismos de buscas dificilmente irão entender a estrutura como um domínio só em vez de dois. Por exemplo: br.dominio e dominio.com. Outro ponto será o decréscimo de autoridade que irá causar esse subdominio. De fato essa é a pior maneira de fazer uma URL quando se trata de internacionalizar um site.

 

Por último, e sim ,o mais importante, o uso do subdiretório é o ideal quando se pensa em um trabalho focalizado em link building. Apesar de não ser tão bom quanto o ccTLD para leitura dos search engines, ainda sim é possível usar o atributo Hreflang para ajudar a identificação de território e língua..

 

Atributo Hreflang

Esse atributo é usado para mostrar aos mecanismos de busca as variações linguísticas e a região que serão mostrados nas pesquisas. A forma do código é:

 

<link rel=”alternate” href=”http://dominio.com” hreflang=”en-us” />

O Hreflang  tem duas entradas: o idioma do site e o país que ele será exibido. Porém, somente o idioma é obrigatório.

 

No exemplo acima temos um domínio que apresenta o idioma inglês que será exibido no território americano.

 

Essas especificações de língua é usado no formato da ISO 639-1 e de região na  ISO 3166-1 Alfa 2 por padrão.

 

Atualmente, o Google e o Yandex entendem o atributo Hreflang, enquanto o Bing entende uma meta location.  

 

Exemplo:

 

URL A :  https://www.dominio.com.br/   (domínio brasileiro)

 

URL B: https://www.dominio.com/usa    (domínio americano)

 

Na URL A caso eu queira exibir ela no Brasil e dizer que o idioma está em português, deveria estar com o atributo Hreflang da seguinte maneira:

 

<link rel=”alternate” href=”https://www.dominio.com.br” hreflang=”pt-br” />

<link rel=”alternate” href=” https://www.dominio.com/usa” hreflang=”en-us” />

 

Repare que no código da URL A deve conter a variação do site. Assim como será na URL B:

 

Hreflang X-default

Existem páginas que tem conteúdo que podem ser exibidos em diversos países ou que simplesmente apontam para qual idioma você pode escolher.  Nesses casos é interessante dizer ao google que ele pode exibir em qualquer segmentação. O exemplo do atributo ficaria:

 

<link rel=”alternate” href=”https://www.dominio.com.br” hreflang=”x-default” />

 

É possível também apenas dizer qual idioma que seu conteúdo está exibindo, sem especificar o país destino. Com isso, é possível, por exemplo, exibir seu site em outro país que fale a mesma língua. Melhor exemplo para isso é a exibição em português e o resultado sendo exibido em Portugal. O exemplo do atributo ficaria:

 

<link rel=”alternate” href=”https://www.dominio.com.br” hreflang=”pt” />

 

Onde o Atributo Hreflang vai

Existem 3 opções para poder inserir esses atributos:

 

 

  • No código fonte da página: inserir no padrão mostrado acima, na head do código;
  • No cabeçalho HTTPS;
  • No SItemaps.

 

 

Por que usar Hreflang em vez de Canonical

O atributo canonical é usado quando se tem uma variação ou até mesmo duplicidade de conteúdo. Para internacionalização não é válido usar, dado que o correto é a exibição do conteúdo no idioma e local correto, o que o canonical não consegue dizer ao robô.

 

Erros comuns na implementação do Hreflang

 

  • Erro de vinculação das páginas, quando uma página A é referenciada a B, é necessário que B indique  A também.
  • Erro no uso dos códigos de idioma e região, para evitar esse erro use a ISO 639-1 para idioma e a ISO 3166-1 Alfa 2 para região.
  • Evite usar apenas o idioma, senão existe chance de aparecer em resultados não relevantes em outros países;

O Segredo

O segredo do hreflang nada mais é do que o core do que o Google prega: relevância para o usuário. É de fundamental importância que se implemente corretamente tecnicas como a do hreflang para trazer ao usuário toda a magia que somente um conteúdo relevante no idioma certo, consegue proporcionar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

SP São Paulo (11) 3042-2224 Av. Paulista, 2202, 7o. Andar - Bela Vista São Paulo - SP, 01310-300
RJ Rio de Janeiro (21) 4126-1965 Travessa Domingos Candido Peixoto, 501, casa 1 Icaraí, Niterói-RJ