Guia SEO e Otimização de E-commerce

Guia SEO e Otimização de E-commerce

1 Comentário »

A otimização de sites de e-commerce têm aspectos únicos quando comparados à maioria dos sites. Todos esses aspectos estão abordados aqui de forma direcionada para quem trabalha diretamente com SEO para e-commerce ou quer aprender mais sobre o tema.

E mais: se você está procurando um guia com páginas-modelo para fazer download, confira o nosso Guia SEO para E-commerce!

 

Modelo de SEO para uma página de ecommerce

1. Title

Esta é um dos fatores mais importantes para a otimização de uma página. É a parte do seu site que terá mais destaque nas páginas de busca do Google. Ele fica no topo do resultado, acima da URL e a Meta Description (mais abaixo neste artigo).

O title tem basicamente duas funções:

  1. Atrair a atenção dos usuários nas páginas de resultado
  2. Indicar aos mecanismos de pesquisa quais são as palavras-chave da página

Mas não confunda o title com o heading, pois são duas partes diferentes do site. O title só aparece em duas situações. No topo do seu resultado na página do Google e no seu navegador. Veja abaixo as imagens para tangibilizar o exemplo.

1) Na página de resultados do Google (busca “comprar chocolate”):

Note que o primeiro resultado orgânico não é um E-commerce, mas sim uma página da Brasil Cacau.

página de resultado do Google para "comprar chocolate"

O segundo resultado não está com o Title otimizado, pois tem caracteres demais, o que faz com que apareçam as reticências ao final. O terceiro resultado é interessante, pois mesmo que não tenha a palavra-chave, ele consegue um excelente 3º lugar.

Isso mostra como a otimização é a soma de diversos fatores que irão influenciar no desempenho de posicionamento.

 

2) Na aba no topo do seu navegador:

Header do site Maria Chocolate

A exposição que o title tem no Google é o maior trunfo desse fator.

 

Dica: Inclua palavras-chave da página no seu title para maior destaque e relevância.

Para se Aprofundar: Como fazer a otimização do title das suas páginas

 

2. Heading

Essas são os códigos HTML que devem ser utilizados para os títulos que ficam visíveis nas páginas do seu site, como o nome do produto em cima da imagem dele. Os headings têm a característica de seguirem uma sequência.

Existem o H1, o H2, o H3… Geralmente vemos nas ferramentas de texto até o H6, mas dificilmente vemos sites utilizando H4 em diante.

A ideia é que eles sejam usados seguindo uma hierarquia, sendo o H1 o mais importante. É uma boa prática eles serem utilizados em sistema de pirâmide, ou seja, o título no H1, o subtítulo no H2, e assim por diante.

gráfico de piramide indicando a hierarquia dos headings

Por isso, se tiver mais de um H1, corrija. E vale a pena ver se isso se repete em todo o site, para organizar tudo de uma vez. Apesar do próprio Matt Cutts (engenheiro do Google) falar que não é dos maiores problemas utilizar mais de um H1 por página, é melhor manter o padrão para organização interna do site.

Dica: Cada página deve conter um, e somente um, H1.

 

Para se Aprofundar:  Como fazer a otimização dos headings no seu site

 

3. Description

Essa é uma das três partes que compõem o seu espaço nas páginas de resultado. Ela é a segunda em ordem de importância. Após o title atrair os olhares para o seu site, a meta description pode ser a diferença entre fazer o usuário clicar no seu site ou não.

meta description no resultado do Google

Apesar de não ser um fator direto de ranqueamento (como o Google afirma), ela tem papel fundamental no seu CTR (Click Through Rate), também conhecida como taxa de cliques. Essa taxa é a quantidade de cliques que seu site consegue atrair para cada vez que aparece na página de resultados.

Enquanto o title precisa trabalhar mais com as palavras-chave para ajudar no ranqueamento diretamente, a meta description não precisa se preocupar tanto com esse aspecto, então tem liberdade para desenvolver mais os argumentos de venda, convencendo o usuário a visitar o seu site.

Na teoria geral, a taxa de cliques no seu e-commerce no Google é um fator de ranqueamento. Se o seu site for mais clicado do que o site acima do seu, aumentam-se as chances de que subir no ranking.

Dica:  Use a meta description para fazer uma frase com argumentos de venda que atraiam o clique do visitante.

 

Para se Aprofundar: Como fazer a otimização das meta description

 

4. URL

Este é o endereço do seu site. E é como o endereço de uma casa, cada página tem o seu. Você precisa dar uma endereço claro e simples para seus visitantes conseguirem chegar com facilidade à sua casa.

Dessa forma, não devemos usar URLs sujas, pois não passam nenhuma informação útil para o visitante, como:

  • www.site.com.br/ecommercesite/index.php?pg=listaprodutos&cdg=73

Uma boa forma é seguir a estrutura clássica e ir afunilando, como CIDADE / BAIRRO / RUA. Pensando assim, no e-commerce teríamos uma URL da seguinte forma:

  • www.site.com.br/ferramentas
  • www.site.com.br/ferramentas/furadeiras
  • www.site.com.br/ferramentas/furadeiras/modelo-T1000

Essa estrutura clássica é confortável para o visitante do seu site conseguir se localizar com clareza, além de organizar claramente a estrutura do seu site. Para os robôs do Google, essa seria a melhor estrutura, já que segue um padrão lógico e rígido.

Outra forma seria não trabalhar com tantas pastas dentro de pastas. Utilizando o mesmo exemplo acima, a estrutura das URLs ficaria da seguinte forma:

  • www.site.com.br/ferramentas
  • www.site.com.br/furadeiras
  • www.site.com.br/modelo-T1000

Essa estrutura privilegia a simplicidade no lugar da organização. Ela também pode ser interessante pois acaba com problemas de categorização quando um mesmo produto pode estar incluido em diversas partes do site, como um salto-alto que aparece tanto nas categorias “Calçados” quanto em “Para Mulheres”. Esse problema também é visto na configuração do breadcrumb, que vemos abaixo.

Caso não seja possível que sua equipe de T.I. crie uma URL totalmente limpa, uma sugestão é utilizar algo como /p ou /c no final, pois ajuda a programação e não atrapalha a experiência do usuário.

Dica:  Crie uma URL limpa e com palavras-chave focadas no conteúdo 

 

Para se Aprofundar: Como otimizar sua URL

 

5. Breadcrumbs

São os breadcrumbs que irão ajudar os visitantes do seu e-commerce a terem noção de qual parte do site estão visualizando. O termo vem do inglês, que significa migalhas de pão.

A ideia é igual da história de João e Maria: você vai ajudar o seu usuário a se localizar, indicando o caminho que fez para chegar onde está.

recorte de um breadcrumb em site de ecommerce

Para e-commerces, podem ocorrer duas situações de navegação. A primeira é que o seu site tem somente uma forma de chegar a uma página específica, por exemplo, uma página do produto furadeira. Ela provavelmente vai estar dentro da categoria “Ferramentas > Furadeiras”.

Mas o que fazer quando um salto-alto está dentro da seção “Calçados” e também na seção “Para Mulheres”. Ou seja, o visitante tem mais de um caminho para chegar numa página específica. Nesse caso, o melhor a indicar nos breadcrumbs é exatamente o caminho que foi feito, para o usuário poder reconhecer exatamente o que ele fez.

Então escolha um caminho que ache melhor, mas nunca deixe de pensar em oferecer uma boa experiência de navegação para o seu usuário.

Dica: Inclua sempre um breadcrumb para ajudar a localização, pois um visitante perdido é uma venda perdida.

 

Para se Aprofundar: 11 Dicas de Usabilidade

 

6. Descrição do Produto

Uma dos fatores mais importantes para a otimização de um e-commerce é a presença de conteúdo original e de qualidade. E os textos dentro de uma página são nossos grandes aliados para essa construção.

descricao-de-produto-em-ecommerce

Para um blog ou um site de notícias criar conteúdo é uma tarefa mais fácil, pois é o objetivo do site. Porém, para um e-commerce, os gestores têm calafrios só de tocar no assunto. É fácil entender os motivos.

Um e-commerce trabalha geralmente com centenas, senão milhares, de produtos. Isso se torna uma tarefa hercúlea.

Essa característica comum na maioria das lojas virtuais cria uma enorme dificuldade para essa geração de descrições únicas. Dessa forma, o padrão é utilizar a descrição do próprio fabricante.

Dica: liste suas principais páginas por importância, e vá criando conteúdo único para cada.

Uma vez feita essa ordenação, vá criando conteúdo aos poucos. Divida ao longo de vários dias, ou até mesmo meses.

Outra alternativa é dividir o trabalho com outras pessoas na sua equipe ou empresa. Explique a importância disso para o ranqueamento do site a cada funcionário da sua empresa. Faça um guia, com diretrizes gerais e como escrever a descrição. 

Dica: Crie conteúdo próprio e útil ao seu visitante, para melhorar sua relevância e se destacar no Google.

 

Para se Aprofundar: Como Escrever um Case de Sucesso

 

7. Análises de Clientes

Ter conteúdo conteúdo único na sua página é muito importante, nós sabemos. Mas também é muito trabalhoso e caro. Poucas coisas são boas e fáceis.

analise-de-leitor

Então qual o motivo de não lançar mão do fantástico mundo do crowdsourcing? Esse conceito significa trocar o trabalho de alguém definido – como um especialista – para alguém desconhecido, com o mesmo objetivo de produzir algo.

Existem diversas diferenças, mas a principal é que os contribuidores externos geralmente são extremamente engajados e apaixonados pelo foco do trabalho.

Lembre-se que cada análise vai ser um conteúdo único, que irá ajudar outros possíveis compradores a se decidir sobre qual produto comprar.

Além disso, o Google adora conteúdo único, então pode ter certeza que esse é um fator que irá ajudar a aumentar o desempenho do seu site nos resultados de pesquisa. A criação de conteúdo fica ainda mais autêntica e escalável.

Então abra um espaço para análises (ou reviews) de pessoas que já compraram o produto na sua loja. A motivação pode ser por questões sociais, mas um estímulo sempre ajuda bastante.

Pense em quais formas você poderia ajudar a atrair mais escritores: oferecendo um benefício financeiro, como um desconto numa próxima compra ou um produto gratuitamente; talvez desenvolvendo o fator social, como criar um sistema de medalhas e pontuação para os mais participativos.

Algumas dicas:

  • Envie um email para seu comprador algumas semanas depois que ele fizer uma compra, pedindo por uma análise.
  • Oferecer desconto em uma próxima compra é uma ótima forma de realmente trazer um grande volume de contribuições.
  • Não se preocupe com análises ruins. Na verdade, mostrando os dois lados da moeda pode aumentar a conversão

 

Quer saber mais? Acesse o nosso Guia SEO para E-commerce e descubra qual o papel de cada elemento das páginas para a otimização da sua loja virtual!

Um comentário para “Guia SEO e Otimização de E-commerce

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

SP São Paulo (11) 2640-7284 Rua Manuel da Nóbrega, 456 conj. 65 - Paraíso - São Paulo - SP
RJ Rio de Janeiro (21) 4126-1965 Tv. Domingos Candido Peixoto, 501 / casa 1 - Icaraí - Niterói - RJ