Devemos parar de utilizar URL Rewrite, Google?

3 Comentários »

Antes de começar o que realmente quero abordar neste post, vou explicar rapidamente quais são as principais diferenças entre URL estática, dinâmica e amigável:

  • URL Estática

São URLs permanentes, isto é, não mudam de acordo com parâmetros, fontes de entrada, usuário logado etc. Um exemplo de URL estática:

http://www.seomaster.com.br/ferramentas-seo.html


  • URL Dinâmica

Geralmente possuem parâmetros e o conteúdo da página é proveniente de bancos de dados, ou seja, mantendo a URL base e alterando os valores dos parâmetros, geram-se páginas diferentes. Um exemplo de URL dinâmica:

http://www.google.com.br/search?hl=pt-BR&pwst=1&q=SoBoo&start=0&sa=N

  • URL Amigável

Nada mais é do que uma URL simples de ler, de ser lembrada, que é formada por palavras e não códigos e parâmetros. Um exemplo de URL amigável:

http://www.lancenet.com.br/clubes/fluminense/

Um exemplo de URL não amigável:

http://jsports.uol.com.br/portal/processa.php?modulo=showmaterias&secao=3&st=fluminense

Bem, agora que vocês já sabem as diferenças entre URL estática, dinâmica e amigável, vamos ao que realmente desejo abordar neste post.

Há algum tempo atrás, o Google lançou um post em seu blog oficial dizendo que podemos parar de nos preocupar em reescrever URLs dinâmicas, pois agora ele consegue indexá-las e avaliá-las perfeitamente, independente do número de parâmetros presentes na URL.

Google: avoid reformatting a dynamic URL to make it look static

Porém, até onde devemos considerar esta nova capacidade do Google e atender às recomendações presentes no post? Devemos realmente parar de reescrever URLs?

A resposta é NÃO.

Utilizar URL rewriting  não somente nas URLs dinâmicas, mas em todas as URLs de um site, gera diversos benefícios, não somente em termos de SEO, mas também em relação à usabilidade, navegação, marketing etc. Abaixo, seguem alguns destes benefícios:

  • Melhor anchor text (texto âncora) caso as próprias URLs sejam usadas como o texto de um  link, já que suas palavras-chave estariam presentes.
  • Maior taxa de cliques nas SERPs, páginas web, e-mails etc.
  • URL mais fácil de ser lembrada e divulgada, tanto online quanto offline.
  • Serve como uma introdução ao assunto abordado naquela página, gerando uma maior expectativa e curiosidade ao visitante.
  • Simplificam uma possível mudança de CMS ou migração do site para outra linguagem de programação, já que é mais fácil associar uma URL descritiva a um determinado conteúdo do que uma URL cheia de parâmetros e pouco informativa.
  • A grande maioria dos mecanismos de busca trabalham melhor com URLs estáticas.

Só existem dois motivos para não utilizar URL Rewriting: impossibilidade tecnológica (seu servidor ou linguagem de programação não permite) e/ou incapacidade técnica (o webmaster não sabe como fazer ou acaba fazendo errado).

Portanto, se o seu site ou blog não se enquadra em nenhum dos itens do parágrafo anterior, continue (ou passe) a reescrever suas URLs. São várias as recompensas tanto para seus visitantes como para seus rankings.

Se você gostou do nosso blog, assine o RSS ou então receba os posts por e-mail.

TAGS

3 comentários para “Devemos parar de utilizar URL Rewrite, Google?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

SP São Paulo (11) 2640-7284 Rua Manuel da Nóbrega, 456 conj. 65 - Paraíso - São Paulo - SP
RJ Rio de Janeiro (21) 4126-1965 Tv. Domingos Candido Peixoto, 501 / casa 1 - Icaraí - Niterói - RJ