Black Hat, Gray Hat e White Hat: veja as diferenças

Black Hat, Gray Hat e White Hat: veja as diferenças

5 Comentários »

Quando começamos a nos familiarizar com o mundo do SEO, percebemos que uma das coisas que mais existem são nomenclaturas desconhecidas. São tantos nomes diferentes que acabamos nos perdendo facilmente e, por vezes, confundindo conceitos bem distintos.

Alguns dos nomes que podem causar confusão na hora de entender melhor como o SEO funciona, principalmente quando o assunto são as práticas, são White Hat, Black Hat e Gray Hat. Cada um deles dá nome a tipos de práticas que podem ser aplicadas a um site para que ele venha a ranquear melhor nos buscadores. Neste artigo vamos entender exatamente do que se trata cada um desses nomes, e para aprender mais sobre as técnicas de “Hat” e outros aspectos de SEO inscreva-se no nosso curso presencial.

White Hat

White Hat é o nome que se dá ao conjunto de boas práticas que podem ser feitas dentro do SEO para aumentar o ranqueamento de um site. Estão sempre de acordo com as Diretrizes de Qualidade do Google e promovem um aumento de ranqueamento de maneira limpa, sem que o site seja visto como irregular ou ruim pelo Google.

Exemplos de práticas de White Hat são criação de bom conteúdo, divulgação em grupos do nicho do site e participação em blogs. Outro exemplo é o cuidado com a usabilidade do usuário no site.

Costuma ser um processo lento no que diz respeito à rapidez para ranquear bem uma página, mas todos os artifícios usados para chegar a este fim não causaram dano nenhum à página e esta nunca será mal vista pelo Google.

Para entender melhor como esses conceitos de práticas boas e ruins funcionam, vamos deixar a imaginação fluir e dar um rosto para o White Hat. Um exemplo de carne e osso ( e poderes ) seria o Professor X, ou Charles Xavier, de X-Men.

Professor X, o Mr. White
Professor X, o Mr. White

Pense bem: Xavier não acredita na ideia de uma raça superior, seja esta humana ou mutante. Promove a aceitação legal dos mutantes, mesmo que o processo de convencimento de que “mutantes são amigos e não inimigos” demore. Além do mais, está sempre cooperando para que os mutantes sejam bem vistos pelos outros. Bem mocinho, não? Exatamente como o White Hat.

Gray Hat

Talvez esta seja a denominação que mais causa dúvidas na cabeça de alguém que está aprendendo SEO. Seria uma mistura de White Hat e Black Hat? É algo bom ou algo ruim? Podemos usar?

Na verdade o Gray Hat é exatamente isso; uma mistura de White Hat e Black Hat. Um site que usa de técnicas Gray Hat, no caso, mesmo usando todas as técnicas de White Hat, não se incomoda em ir um pouco para o lado Black as vezes e usar de técnicas duvidosas para alcançar ranqueamentos instantâneos.

A diferença entre Gray e Black Hat é a quantidade e a continuidade das técnicas usadas. Enquanto que no Black Hat as técnicas ruins são usadas em demasia e por um longo tempo, no Gray Hat elas são usadas de maneira quase imperceptível e por pouquíssimo tempo, de modo que não gere uma punição por parte do Google.

Alguns exemplo de prática de Gray Hat seriam os spans na caixa de e-mail e comentários em blogs com somente a finalidade de link building, sem agregar nenhum conteúdo.

Para entender melhor vamos lembrar do nosso personagem Gray Hat, o Wolverine, nas histórias: Apesar de ser um “mocinho” na maior parte do tempo, cooperando com o Professor X para que os mutantes sejam aceitos pelos humanos, não pensa duas vezes se precisar fazer alguma coisa ilegal para que essa aceitação seja alcançada.

Wolverine, o Mr. Gray
Wolverine, o Mr. Gray

Mesmo com os episódios ao estilo “vilão”, as atitudes de Wolverine na maior parte do tempo são boas e ajudam os X-Men.

Black Hat

Depois de lermos do que se trata o White e o Gray, já imaginamos o que vem a ser o Black Hat. Este é o nome dado às práticas nada ingênuas – e por vezes bem maldosas – feitas por algumas pessoas para que uma determinada página tenha um bom ranqueamento. Essas técnicas tem como objetivo enganar os robôs que fazem o rastreamento ou o próprio algoritmo do Google, responsáveis pela supervisão dos sites, fazendo com que o site ganhe muitas posições em pouco tempo. Essas manobras são mal vistas pelo Google, justamente por burlar as Diretrizes de Qualidade, que pune severamente os sites que usam de Black Hat para ganharem posições no ranking de busca.

Entre as punições que podem ocorrer aos sites estão a queda de ranking e até mesmo a exclusão do site entre os resultados de pesquisa!

Exemplos de práticas de Black Hat são o Cloaking (quando o site apresenta um conteúdo ao visitante e outro aos robots do Google) e o Doorway Pages (criação de páginas com a única finalidade de conseguir um posicionamento melhor).

No nosso jogo de personificar os “Hats”, o Black seria ninguém mais, ninguém menos que Erik Lehnsherr, o Magneto.

Magneto, o Mr. Black
Magneto, o Mr. Black

Achando que pode mais do que os outros e sem paciência nenhuma para alcançar seus objetivos, não se importa de ir contra a ética para chegar ao topo.  Pode influenciar muitos a seguirem o mesmo caminho, mesmo que a punição seja algo praticamente certo no futuro. Atitudes bem dignas de um bom Black Hat, não?

E falando em Black Hat, estamos preparando um artigo inteiro sobre práticas maldosas de SEO e como identificá-las, então aguardem nosso artigo sobre Black Hat em breve.
e para aprender mais sobre as técnicas “Hat” e outros aspectos de SEO inscreva-se no nosso curso presencial.

TAGS

5 comentários para “Black Hat, Gray Hat e White Hat: veja as diferenças

  1. No meu ponto de vista, tudo é válido para ser estudado e testado.
    Algumas técnicas podem ser discutidas com seu cliente e testadas para alcançar algum tipo de objetivo, mesmo sendo consideradas Black Hat.
    Sem exagerar e fazendo de forma controlada, podemos conseguir bons resultados.

  2. Concordo com o amigo Felipe, como comentado, desde que controladas e que não venha posteriormente a prejudicar ao invés de ajudar.

    Muito bom o artigo. Gostei. Parabéns!

  3. Uma abordagem um tanto quanto simplista das diferentes escolas de SEO. Na verdade, SEO como tudo na vida e feito em bastantes tons de cinza. Mesmo os mais puritanos e ferrenhos Whitehatters acabam por tirar ideias, as vezes “deslizam” para o chamado grey hat.

    Bom artigo no entanto, gostei da leitura, e especialmente da comparacao com os X-Men =)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

SP São Paulo (11) 2640-7284 Rua Manuel da Nóbrega, 456 conj. 65 - Paraíso - São Paulo - SP
RJ Rio de Janeiro (21) 4126-1965 Tv. Domingos Candido Peixoto, 501 / casa 1 - Icaraí - Niterói - RJ